1. Museus De Olinda, beleza cultural

Rua históricas de OlindaOs Museus de Olinda prestam um serviço a sociedade, aberta ao público, conserva, investiga, difunde e expõe os testemunhos materiais de nossa historia e de seu entorno.

Além do título de Patrimônio Mundial da Humanidade e berço da cultura brasileira, Olinda é pura beleza artística nas ruas de seu sítio histórico, os museus do séculos passados contam nossa historia.

FAÇA SUA VISITAÇÃO E CONHEÇA MAIS DA HISTÓRIA DE OLINDA E DO BRASIL COLONIAL

No antigo Palácio dos Bispos de Olinda onde hoje abriga o MASPE – Museu de Arte Sacra de Pernambuco, espaço Tiridá onde se encontrar o maior acervo de Bonecos Mamulengos das Americas, antiga Casa de Câmara e Cadeia Pública onde compõe uma coleções de artes plásticas dos mais renomados artistas além de saber com era vida pernambucana no século passado.

Itinerário

  • Museu De Arte Sacra De Pe
  • Museu de Arte Contemporânea (MAC)
  • Museu Regional De Olinda
  • Museu do Mamulengo

2. Museu De Arte Sacra De Pe (MASPE)

Antigo Palácio dos Bispos de OlindaInaugurado no dia 11 de abril de 1977, o Museu de Arte Sacra de Pernambuco (MASPE) está instalado numa das primeiras edificações da Vila de Olinda, a antiga Casa da Câmara, fundada por Duarte Coelho em 1537. No século XIX, o casarão sofreu novas modificações, servindo como residência coletiva de religiosos sendo o 1º Palácio do Bispo de Pernambuco, colégio e quartel do exército durante a 2ª Guerra Mundial. Em sua fachada, é possível ver o antigo brasão episcopal e uma placa da Unesco, de 14 de dezembro de 1982, que declara Olinda Monumento Cultural da Humanidade.

Privilegiado por sua localização e amplitude, o antigo Palácio dos Bispos foi transformado pela Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (FUNDARPE) em espaço para exposição e estudo da arte sacra ou de inspiração religiosa. O acervo fixo do MASPE, que começou a ser construído a partir de mais uma centena de peças cedidas pela Arquidiocese de Olinda e Recife. Mostra permanente de peças sacras, hoje reúne objetos de culto como santos populares e de procissão, relicários, custódias e pinturas religiosas. Um dos destaques deste acervo é a coleção de imagens antigas eruditas, policromadas e douradas, datadas do século XVI.

Visitações

  • Terça a Domingo das 10h as 17h
  • R$ 10 (inteira), R$ 5 (meia-entrada)
  • Idosos e colégios agendados possuem gratuidade
  • R. Bpo. Coutinho – Carmo, Olinda – PE
  • (81) 31843154

Mais:

3. Museu de Arte Contemporânea (MAC)

Edifício Da Antiga Casa De Câmara E Cadeia PúblicaO espaço tem como tema a arte nacional e internacional com acervo composto de coleções de artes plásticas e isoladas dos mais renomados artistas.

Localizado no sítio histórico de Olinda, o Museu de Arte Contemporânea de Pernambuco (MAC-PE), foi inaugurado no dia 23 de dezembro de 1966, com a doação de parte da Coleção do Embaixador Assis Chateaubriand ao Estado.

Hoje o museu conta com um acervo de mais de 4 mil obras das mais variadas técnicas, épocas e estilos, indo desde o academicismo francês até a contemporaneidade.

O museu, que faz parte da rede de equipamentos da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), reúne obras de grandes nomes como Portinari, Cícero Dias, Eliseu Visconti, Djanira, Telles Junior, Wellington Virgolino, Di Cavalcanti, João Câmara, Guinard, Adolph Gottielib, Burle Max, Francisco Brennand, entre outros.

O MAC-PE (Museu de Arte Contemporânea de Pernambuco) está instalado em um prédio tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), por ter sido a antiga Casa de Câmara e Cadeia Pública do Município de Olinda. O prédio, datado de 1765, foi projetado para ser o Aljube (palavra de origem árabe, significando cárcere, masmorra, tem aqui significação restrita de “cárcere de foro eclesiástico”) da Diocese, sendo durante todo o período da Inquisição a única prisão eclesiástica que se tem notícia na história do Brasil, utilizado para o recolhimento de homens e mulheres acusados de delitos contra a religião Católica Romana, sob jurisdição eclesiástica.

Nesse prédio atualmente funciona a sede do museu, onde estão à mostra obras pertencentes ao acervo do MAC-PE (Museu de Arte Contemporânea de Pernambuco), composto por quinze coleções.

Visitações

  • Terça a Domingo das 09h as 17h
  • R$5 inteira e meia para estudantes
  • Estudante de escola municipal ou estadual agendada não paga
  • Escola particular agendada paga R$2
  • Idosos acima de 65 anos não pagam
  • R. Treze de Maio, 149 – Carmo, Olinda – PE
  • (81) 3184-3153

Mais:

4. Museu Regional De Olinda

Visão Pernambucana Do Século PassadoTem como tema a história de Olinda e a vida pernanbucado do século passado, ao todo são 217 peças expostas por toda a extensão dos salões do prédio onde funciona.

Foi criado em virtude da comemoração do 4° centenário da chegada de Duarte Coelho à Capitania de Pernambuco, sendo inaugurado em 1935 por José Maria Albuquerque Melo, então diretor da Biblioteca e do Museu do Estado, então diretor da Biblioteca e do Museu do Estado.

O casa que abriga o Museu Regional de Olinda tem um solar em estilo colonial construído entre 1745 e 1749, originalmente abrigou a residência episcopal. O Museu propicia ao observador uma visão de uma casa pernambucana no século passado.

Seu acervo é composto por mobiliários, pinturas, louças, pratarias e peças de grande valor histórico para a vida social, religiosa e política da cidade como o brasão do Senado da Câmara de Olinda. Ainda, possui um conjunto raro de peças de arte sacra do século XVII e XVIII em terra-cota e madeira, inclusive um altar que pertenceu à antiga Sé de Olinda antes de sua reforma em 1711.

Visitações

  • Terça a Sexta das 09h as 17h
  • Sábados e Domingos das 13h as 17h
  • R$2 inteira
  • R. do Amparo, 128 – Amparo, Olinda – PE
  • (81) 3184.3159

Mais:

5. Museu do Mamulengo

Espaço Tiridá onde o lúdico e a magia se encontramPrimeiro e único espaço destinado a bonecos populares no Brasil e na América Latina, alguns bonecos do século XVIII, representando figuras populares em situações cotidianas rurais ou urbanas.

Inaugurado em 14 de dezembro de 1994, data em que Olinda comemorava 12 anos como Cidade Patrimônio da Humanidade, está instalado em um prédio com características ecléticas da arquitetura do fim do século XIX.

Você deve lembrar que Mamulengo é um tipo de fantoche, típico do nordeste brasileiro, especialmente do Estado de Pernambuco. A origem do nome é controversa, mas acredita-se que ela surgiu de mão molenga, mão mole, ideal para dar movimentos vivos ao boneco. Suas apresentações eram em praça pública, em geral durante os festejos religiosos. A arte do mamulengo é praticada desde a época colonial, retratando situações cotidianas do povo, geralmente situações cômicas e sátiras.

O Museu do Mamulengo é um espaço artístico, lúdico e mágico que preserva a tradição dos bonecos. O museu guarda um vasto acervo diversificado para pesquisa de bonecos antigos e contemporâneos, com mais de 1.200 peças, sendo que cerca de 400 estão em exposição.

A criação do principal acervo surgiu na década de 70, quando os participantes do Grupo Mamulengo Só-riso, resolveram investir na aquisição de peças dos “mestres mamulengueiros” que falecendo, sem deixar herdeiros de sua arte, eram vendidas como objetos de decoração. O nome do espaço é uma homenagem ao personagem Professor Tiridá, criado pelo mestre mamulengueiro Ginu.

Hoje, o Museu do Mamulengo reúne e preserva a memória de mestres populares desta arte, como Saúba, Tonho de Pombos, Luiz da Serra, Pedro Rosa, Zé Lopes, Antônio Biló, Manuel Marcelino, Salustiano.

Visitações

  • Terça a Sábado das 10h as 17h
  • R$4,00 (inteira) e R$2,00 (meia-entrada)
  • Idosos, crianças até 10 anos e colégios públicos agendados gratuidade
  • Colégios particulares mediante agendamento meia-entrada
  • Av. Joaquim Nabuco, S/N – Varadouro, Olinda – PE
  • (81) 3493-2753

Mais:

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here